Você pai ou mãe pode ser a principal causa por seu filho ter medo de ir ao dentista

Tá, eu sei que a cadeira odontológica e anestesia dentária não são as coisas mais gostosas do mundo. Eu não me tornei dentista porque gosto de tomar anestesia e extrair meu siso. Eu quis ser dentista porque meus pais nunca se referiram ao dentista como um torturador e sempre me levaram a Odontopediatra para prevenir problemas bucais. Portanto eu adorava ir naquele consultório com cheirinho de cravo, quadros de macacos segurando escovas de dentes e ficar 30 minutos com aquela moldeira com gosto de chiclete na boca. Juro que adorava.

 

Minhas experiências no dentista sempre foram agradáveis, sem anestesias e motorzinhos para restauração, simplesmente porque meus pais sempre me levavam para as consultas de revisão no tempo certo. Eles não esperavam o problema aparecer, pelo contrário, faziam um programa de prevenção. Me pergunta agora se tive alguma cárie?

 

Você já se perguntou porque tem medo de dentista? Será que não lembra de como era antigamente, às vezes até historias contadas pelos avós quando dentistas significavam dor e as extrações eram o tratamento de eleição; e o pior de tudo: sem anestesia, tinha que aguentar no osso. Eu por exemplo, já ouvi inclusive histórias de antigamente, que quando a menina fazia 15 anos, extraia todos os dentes e ganhava uma dentadura de presente.

 

Eu sei, o tratamento de canal ainda pode ser desagradável e uma extração de siso continua sendo ruim, mas se você passou por esses procedimentos e teve uma má experiência, JAMAIS relate isso para seus filhos. Não chegue em casa depois do dentista e fique reclamando como o barulho do motorzinho é horrível e como doeu para fazer aquele tratamento de canal. Nossos medos e ansiedades são passados para nossos filhos e essa experiência desagradável vai acabar sendo transmitida para o seu filho, mesmo sem ele ter passado por qualquer um desses procedimentos.

 

Por exemplo, você leva seu filho ao Odontopediatra e ele/ela não quer sentar na cadeira e abrir a boca apenas para o dentista realizar uma revisão. Ai você fala pra ele/ela: “Abre a boca se não o dentista vai te dar uma injeção.” Que tipo de imagem você acha que a criança vai ter do dentista? Que damos injeção em crianças indefesas apenas para puni-las? E se realmente precisarmos dar a injeção para algum procedimento e a criança está comportada? Como você vai explicar isso pra ele/ela?

 

A Odontologia evoluiu muito, está bem mais conservadora e a prevenção é a melhor forma de evitar procedimentos indesejados.Quando você leva seu filho ao Odontopediatra apenas quando ele/ela tem algum problema ou já está com dor, essa criança não teve nem a chance de ir ao consultório dentário apenas para conhecer o equipamento e o profissional ou fazer apenas uma revisão e limpeza que são procedimentos mais tranquilos. Imagine uma pessoa estranha, que você nunca viu na vida, chegando com uma injeção ou instrumentos pontiagudos… A impressão que vai ficar para a criança é que sempre que ela for, algo ruim vai ser feito, consegue perceber isso?

 

Para evitar esses traumas e medos, as crianças precisam ter contato com o Odontopediatra o mais cedo possível, e as primeiras visitas devem ocorrer desde o nascimento dos primeiros dentinhos. Dessa forma, um programa de prevenção será realizado desde o início para um desenvolvimento de uma dentição saudável.

 

O profissional precisa criar um vínculo de afetividade com a criança e a ida ao consultório odontológico precisa acontecer de forma natural, onde a criança se sinta a vontade e não intimidada toda vez que for fazer sua consulta de rotina. Por isso, é primordial destacar que o primeiro contato da criança com o dentista não deve envolver situações de emergências odontológicas, mas sim de consultas preventivas com orientações sobre a higiene oral.

 

Nós dentistas queremos ver sorrisos saudáveis e principalmente que a ida a consulta odontológica seja agradável e prazerosa, assim como é para nós, Odontopediatras, atender os pequenos.

 

Então por favor, pais e mães nos ajudem a criar um Mundo Sem Cáries e, principalmente, não deixem seu filho se tornar adulto problema cheios de medos e inseguranças.

Dra. Juliana Marchi
CRO-RS: 14.169 - Mãe de dois príncipes; - Especialista em Ortodontia pela ABO; - Mestre e especialista em Odontopediatria pela UFRGS; - Graduada pela USP; - Autora do site www.mundosemcaries.com.br.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,986FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!