Coronavírus X Infertilidade

Nesse momento de muitas informações desencontradas venho replicar as notícias referentes especificamente as pacientes grávidas e que estão em tratamento de infertilidade. Minha responsabilidade é informar!

A nossa área de atuação tem como foco a busca da gravidez, a formação de famílias, a realização de sonhos que, em algum momento no passado, pareciam impossíveis. Já enfrentamos o H1N1, o zika vírus e, neste momento, acompanhamos o surto do novo coronavírus (Covid-19), uma ameaça global.

GRAVIDEZ:

Não há evidências de efeitos negativos nas gravidezes, especialmente naquelas em estágio inicial. Há relatos de casos de mulheres positivas para o Covid-19 que deram à luz bebês saudáveis e alguns efeitos adversos neonatais, como rotura precoce de bolsa amniótica, ou parto pré-termo, não tiveram comprovação de que eram resultantes de transmissão vertical, ou seja, de mãe para filho. A gravidez também não protege, então se cuide, o fato de estar gravida não impede de ter uma doença grave. Esses dados mostram que o comportamento do Covid-19 é diferente do H1N1, que tinha importante implicação para grávidas e seus bebês. Mas seguimos com cautela.

INFERTILIDADE:

1.      Suspensão do início de novos ciclos de tratamento, incluindo indução da ovulação (Coito Programado), inseminações (IUI), fertilização in vitro (FIV). Ou seja, postergar e esperar um outro momento para planejar a gravidez. Entretanto, não queremos que se repitam experiências como as do H1N1 ou do zika vírus, quando muitos pacientes esperaram e o tempo de sua fertilidade natural passou. Por isso discutir com o seu médico é sempre indicado;

2.      Para aqueles que estão em tratamento de reprodução assistida, as evidências até este momento sugerem seguir os planos, postergando apenas o momento da transferência por meio do congelamento de óvulos ou embriões;

3.      Considerar fortemente o cancelamento de toda transferência de embriões quer  “fresca” ou “congelada;

4.      Suspender cirurgias eletivas e não urgentes procedimentos de diagnóstico;

5.      Minimize as interações pessoais, ou seja, consultas PRESENCIAIS, sugiro consultas online.

Cuidemos uns dos outros, equipes e pacientes, vizinhos, conhecidos e dos desconhecidos ao nosso lado. Contem conosco.

REFERÊNCIAS (acesso em 16/03/2020):

Sociedade Europeia de Reprodução Humana, ESHRE

Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva, ASRM

Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia, ACOG

Centro para Controle de Doenças, CDC

Royal College Inglês

Federação Internacional de Fertilidade

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,991FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!