Assaduras em bebês

Muito comuns em bebês, as assaduras nada mais são do que dermatites de contato, aquelas em que há lesão da pele causada pelo contato excessivo e frequente de determinadas regiões com roupas e fraldas, por exemplo. Na assadura, o contato da pele do bebê, bastante sensível, com as fezes e a urina provoca a alteração do PH nas regiões íntimas da criança, levando a lesões acompanhadas de ardência e dor. Apesar de não ser um fator agravante, o tempo frio também exige a atenção das mães, que não devem diminuir a quantidade de trocas de fraldas com o objetivo de preservar a criança aquecida.

 

“As fezes e a urina são substâncias irritantes à pele. Portanto, o contato da fralda molhada, além da sua constante fricção, aumenta a suscetibilidade da pele ao aparecimento dessa lesão que chamamos de assadura. Em muitos casos, essa assadura também tem um fungo associado, que é a cândida, resultando no desenvolvimento da candidíase no bebê”, explica a Dra. Maria José Carvalho Sant’Anna, pediatra e professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

 

Caracterizada pela vermelhidão do local afetado, lesões leves na pele e erosões em alguns casos, as assaduras têm maior possibilidade de aparição a partir do momento em que o bebê passa a comer alimentos, além do leite materno, o que torna as fezes e a urina mais irritantes à pele.

 

“Nos casos mais leves, a pele do bebê é acometida por uma vermelhidão na região do períneo. Nos moderados, há o aparecimento de lesões e vermelhidão, que escamam a pele. Nos graves, os danos são mais acentuados e importantes; são situações em que houve maior contato da urina e das fezes com a pele e, após o aparecimento da assadura, a pele continuou em contato com a urina, agravando o quadro e provocando dor e irritabilidade à criança. 80% dos casos em que a assadura passa de três dias, já têm fungo associado, o que indica a necessidade de acompanhamento e tratamento junto ao pediatra”, explica a professora.

 

Para evitar o problema, a Dra. Maria José dá dicas básicas de cuidados:

 

– Evitar deixar a criança com a mesma fralda por um período prolongado, para mantê-la sempre seca e limpa.

– Aumentar o número de trocas de fraldas, especialmente em bebês recém-nascidos, que urinam e defecam muitas vezes ao dia.

– Ao trocar a fralda, procurar sempre limpar o bebê com água morna e sabonete neutro e usar lenços umedecidos somente em último caso – a atitude mantém a criança devidamente limpa e evita o desenvolvimento de alergias ao lenço.

– Tomar cuidado com as pomadas, que podem ser difíceis de ser removidas da pele do bebê.

– Não apertar muito a fralda e deixar o bebê mais confortável e menos suscetível a assaduras.

– Sempre que possível, deixar o bebê exposto ao sol (brando) e sem fralda. Esse hábito mantém seca a região que estaria em contato com a fralda.

 

Texto: Fran Press Comunicação Corporativa

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,970FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!