5 mitos sobre Amamentação

Separei aqui algumas frases relacionadas a amamentação que são muito ditas por aí, mas que não representam uma verdade. Confira aí o que temos a dizer sobre essas afirmações!

 

A alimentação da nutriz pode causar cólica no bebê

 

Isso não é verdade! A cólica do bebê está mais relacionada com a maturidade e trânsito intestinal do que com a alimentação materna. A mamãe pode comer de tudo, com moderação. Alimentos que não são adequados para pessoas que não amamentam também não serão indicados para quem está amamentando. Vale ressaltar que não há nenhuma comprovação científica de alimentos que melhoram ou pioram a produção de leite. De forma geral, alimentos ricos em líquidos são importantes para a produção de leite.

 

Amamentar deitada não é indicado, pois pode causar infecção no ouvido do bebê

 

Mito! A mama segue o formato da boca do bebê durante e durante a amamentação a comunicação com o ouvido é ocluída. Portanto, pode amamentar deitada, inclusive logo após o nascimento. O cuidado que devemos ter em relação a amamentar deitada é o posicionamento e o cansaço materno, pois pode adormecer, não acomodar o bebê como deveria. É necessário cuidado para não derrubar bebê, nem dormir por cima, essas coisas que não são tão comuns, mas com o cansaço podem acontecer. Mas atenção, estamos falando sobre o bebê amamentado ao seio materno. Na mamadeira a pressão que o bebê faz para sugar o leite é diferente do peito. Pode causar otite o bebê mamar na mamadeira estando deitado.

 

É normal sentir dor no mamilo quando o bebê está mamando

 

Não. Uma das causas mais comuns da dor no mamilo ao amamentar é o bebê não estar pegando o seio materno adequadamente. Por isso, é importante a avaliação da mamada por especialista, para que possa fazer os ajustes necessários de posicionamento e pega, para evitar problemas na amamentação. O bebê deve abocanhar o máximo que conseguir da aréola também (local onde o leite se encontra), não somente o mamilo. Ao final da mamada a mãe deve observar seu mamilo em formato arredondado, não amassado. Vale lembrar que já falamos por aqui sobre a dor durante a amamentação, e reforço: às vezes, no comecinho do aleitamento materno, a mulher pode ter sensibilidade, desconforto, mas não é normal sentir dor.

 

O bebê deve sempre arrotar após mamar

 

Isso não é uma obrigatoriedade, alguns bebês vão arrotar logo após a mamada, outros não. Os pais se questionam por quanto tempo devem esperar o bebê arrotar. Não há um tempo fixo para isso, o bebê pode arrotar até duas horas após a mamada. O ideal é, após a amamentação, colocar o bebê em posição vertical, e é normal que ele arrote em seguida se engoliu ar durante a mamada. Mas se os pais perceberem que o bebê não arrotou e está tranquilo, não precisam ficar esperando, podem seguir os cuidados normalmente, inclusive colocá-lo para dormir.

 

A mãe pode oferecer uma mamadeira de complemento à noite, para poder descansar

 

Se a mulher pretende seguir amamentando, essa não é uma boa opção. Quanto mais espaçados os intervalos das mamadas, menos leite a mulher produz. Isso significa dizer que a mamada noturna é necessária para que se continue o aleitamento materno. A mama precisa esvaziar para produzir leite. Sendo assim, se oferecer uma mamadeira de complemento à noite o bebê vai ficar mais saciado, com o estômago dilatado, vai dormir mais, até porque a digestão da formula é mais lenta que a do leite materno. E aí, a mama da mãe não esvazia e a tendência é reduzir a produção de leite. Assim, mais o bebê vai querer a mamadeira.

 

Gostou de dessas informações sobre aleitamento materno?

 

Compartilhe este conteúdo e nossas redes sociais para que mais mães tenham acesso a essas informações.

 

@amparomaterno

@somosmaesdeprimeiraviagem

 

Participe do nosso Curso para Gestantes, veja a agenda e a programação.

 
 
Eveline Franco da Silva
Enfermeira Especialista em Enfermagem Obstétrica Especialista em Saúde Pública com ênfase em Saúde da Família Pós-graduanda em Cuidado Materno-Infantil com enfoque em Aleitamento Materno Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul Docente do Ensino Superior na área de Saúde Materno-Infantil Consultora em Aleitamento Materno Consultora Acadêmica Idealizadora da Amparo Materno Redes Sociais: Instagram: @enf_eve @amparomaterno Facebook: Eveline Franco E-mail: evelinefranco@yahoo.com.br

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,970FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!