Novas diretrizes do parto normal divulgadas pelo Ministério da Saúde

Na última quarta-feira, 8 de março, o Governo Federal lançou uma série de novas diretrizes para a realização do parto normal e, assim, evitar intervenções consideradas desnecessárias. Nessa nova ação a mulher poderá ter maior poder sobre a decisão de como o seu filho vai nascer. 
 
As novas diretrizes foram determinadas por um grande grupo de obstetras, clínicos gerais, neonatologistas, anestesiologistas, enfermeiras e vários integrantes de grandes entidades da área da saúde. Esse grupo de especialistas estudou e baseou essas mudanças em evidências científicas que foram coletadas. 
 
Boa parte das medidas que foram anunciadas já eram recomendações do ministério, porém, a partir de hoje elas se tornaram normas obrigatórias. E as gestantes podem questionar o médico no caso de descumprimento das regras. Todas as unidades de saúde terão que cumprir obrigatoriamente todas as normas. 
Uma novidade muito importante é que as gestantes terão um plano de parto. Através disso elas terão acesso desde começo do atendimento pré-natal a informações, como local do parto, data e como será o procedimento. Para, assim, todas as mulheres ficarem preparadas para os próximos meses e passarem a cogitar um parto normal.
Confira as novas diretrizes que devem ser aplicadas pelas maternidades:
 
  • Permitir à mulher a posição que ela preferir durante o parto, visando conforto;
  • A presença de doulas e de acompanhante é permitida;
  • Dieta livre, com o fim do jejum obrigatório;
  • Métodos de alívio para a dor, como massagens, banhos quentes e imersão na água;
  • Direito à anestesia e à reaplicação dela;
  • Contato pele-a-pele da criança com a mãe imediatamente após o parto;
  • Direito à privacidade da gestante e família;
  • Estímulo à amamentação.
     

Métodos que precisam ser evitados quando possível:

 

  • Episiotomia (corte do períneo);
  • Uso do hormônio ocitocina para acelerar a saída do bebê;
  • Cesariana;
  • Aspiração do nariz e da faringe do recém-nascido;
  • Técnica conhecida como “manobra de Kristeller”, quando se pressiona o útero da mulher para ajudar na expulsão da criança;
  • Uso do fórceps;
  • Lavagem intestinal antes do parto;
  • Raspagem dos pelos pubianos;
  • Rompimento da bolsa;
  • Corte precoce do cordão umbilical, os médicos deverão esperar de 1 a 5 minutos ou até cessar a pulsação.
     

O governo também vai ampliar o acesso de mulheres ao método contraceptivo Dispositivo Intrauterino de Cobre (DIU) que é oferecido em Unidades básicas de Saúde. Agora o contraceptivo também será oferecidos para mulheres depois do parto e após abortos. 

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,242FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!