INAUGURANDO A COLUNA “DE MÃE PRA MÃE”

 

Quando a Acácia me ligou e me convidou para ser uma das embaixadoras do Somos Mães de Primeira Viagem, confesso que, além de me sentir muito honrada, fiquei com um grande frio na barriga. Será que devo aceitar? Será que eu – essa mãe comum e tão cheia de dúvidas e apreensões – merece um título tão importante assim? Como poderia eu contribuir para esse projeto que já tem tanta gente boa e qualificada envolvida?

 

Mesmo com medo, resolvi aceitar e inauguro hoje, com muita alegria, minha participação oficial por aqui.

 

Apesar de psicóloga e estudiosa das questões que envolvem a maternidade e paternidade, gosto de me apresentar como a mãe absolutamente comum que sou. Uma mãe cuja maternidade, apesar de extremamente desejada, se apresentou como uma tarefa extremamente desafiadora e desconcertante.

 

Faz seis anos que me tornei mãe. E, até hoje, sinto que os questionamentos e apreensões em relação a esse papel só aumentam dentro de mim.

 

Por vezes, me deparo com questionamentos pequenos, que envolvem a rotina e as tarefas básicas do dia-a-dia. Estes, embora cotidianos, exigem de mim bastante jogo de cintura, além de energia e boa dose de paciência.

 

Já outros, ahhhh, há outros bem grandes e estes insistem em povoar minha cabeça sem descanso desde que minha primeira filha nasceu. O que é ser uma boa mãe? Como ser uma boa mãe para meus filhos? Como conciliar meus desejos e necessidades pessoais com esse papel que exige tanto de mim? Como dividir meu tempo entre o trabalho e o cuidado com eles? Como não esquecer de mim, dos amigos, do marido, da vaidade, da beleza, do mundo depois que me tornei mãe?

 

De todos esses meus questionamentos e angústias, nasceu a idéia de escrever. Refletir não sobre os grandes e importantes temas da maternidade – gravidez, parto, amamentação, sono, educação. Mas sobre os pequenos e diários sentimentos de uma mãe que, a cada dia que passa, é convocada a agir de uma forma diferente, dar respostas, fazer intervenções, educar, corrigir sem, muitas vezes, saber ao certo como se faz cada uma dessas coisas.

 

Sobre aqueles novos sentimentos que surgem dentro de nós depois da maternidade e que parecem sem lugar, como se pertencessem a uma outra pessoa que, até então, desconhecíamos. Sobre as inseguranças de se tornar, de uma dia para outro, responsável pelo bem estar físico e emocional de um outro alguém. Sobre ter que responder quando você mesma não tem as respostas. Sobre não saber quando o mundo espera que você saiba.

 

Nesse espaço, então, vocês vão encontrar palavras que falam sobre os pensamentos de uma mãe absolutamente ordinária, humana, comum. De uma mulher que, apesar de ter sonhado durante anos com um filho nos braços, atravessou inúmeras dificuldades para exercer o papel de mãe. Um mulher que se sentiu sozinha e isolada nos primeiros meses. Que não sabia como estar em paz no momento de profundo recolhimento que é o pós-parto e os primeiros meses da amamentação.  Uma mulher que foi criada e educada para olhar para fora, para o mundo, estudar, aprender línguas, enfrentar grandes desafios profissionais, mas que se sentiu extremamente despreparada para enfrentar as demandas do bebê e, principalmente, entender as suas próprias. Uma mulher que até hoje, seis anos depois, se pergunta, mas “como é que faz para dar conta de tudo isso mesmo?”. E que ainda vive se debatendo para equilibrar tantos papéis, tantas demandas e tantas cobranças que enfrentamos no mundo de hoje.

 

É importante avisar que, muito provavelmente, nada daquilo que vocês lerem aqui será capaz de mudar a vida de, sequer, uma única mãe. Mas já me sentirei extremamente feliz se apenas algumas delas se sentirem menos solitárias e esquisitas em seus devaneios e dificuldades de mãe…

 

* Isabel Coutinho é psicóloga, mãe de 2 filhos e autora do livro MÃE EM CONSTRUÇÃO – reflexões, angústias, desafios (Dash Editora), à venda nas principais livrarias e na loja Somos Mães de Primeira Viagem.

 

Livro “Mãe em construção: Reflexões, angústias e desafios” compre agora: https://ow.ly/bkVA308CD8e

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,950FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!