Grávidas devem ficar atentas à higiene bucal

Para preparar o organismo para o desenvolvimento de um bebê, o corpo de uma mulher passa por diversas mudanças físicas, hormonais e metabólicas. O que muita gente não sabe é que essas transformações podem afetar diretamente na saúde bucal da gestante. Uma das maiores causas é a maior produção de estrogênio e progesterona pela placenta, hormônios que promovem alterações vasculares e propiciam o acometimento por bactérias patogênicas.

De acordo com pesquisa realizada pela UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora, 83% de 88 gestantes acompanhadas diariamente apresentaram problemas periodontais, como infecções ou inflamações na gengiva. “O problema mais comum, a gengivite, é caracterizado por vermelhidão, inchaço e sangramento da gengiva que, se não tratada, pode se transformar na doença periodontal, trazendo mais riscos à mãe e, também, ao bebê”, conta Dr. Paulo Coelho Andrade, mestre especialista em implantodontia e odontologia estética. 

Segundo o profissional, um estudo conduzido pela UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo declara que gestantes com problemas periodontais correm maior risco de ter partos prematuros e nascimentos de bebês abaixo do peso (menos de 2,5 kg). “Já a mãe corre o risco de desenvolver até mesmo cardiopatias – doenças que comprometem o coração – pois inflamações na gengiva podem servir como porta de entrada para bactérias que são capazes de chegar até o órgão. A alteração hormonal ainda pode estimular o aparecimento de cáries, uma vez que altera o PH da saliva”.

A melhor forma de combater estes problemas é melhorar a higiene bucal, escovando bem os dentes após cada refeição e usando corretamente o fio dental. “O ideal é fazer um check-up na boca antes mesmo da gravidez, agindo de forma profilática. Após a concepção, é de suma importância um acompanhamento para a prevenção destes problemas. Há algumas proibições em relação a alguns tratamentos odontológicos como implantes ou cirurgias invasivas, entretanto, vale lembrar que tratar os problemas citados representa menores complicações do que a falta de tratamento”, finaliza Dr. Paulo.

 

*Texto enviado pela assessoria. 
 

Artigo anteriorCranioestenose
Próximo artigoDoença mão-pé-boca (HFMD)
Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,976FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!