Desmame – Como tratar esse processo?

O Desmame pode ocorrer em vários momentos e, não somente, quando a mãe decide ou o bebê demonstra autonomia para tanto.

Importante destacar que ele é um processo que pode se iniciar com a introdução alimentar, mesmo que a mãe ainda não tenha em mente esse momento. 

 

A Organização Mundial da Saúde preconiza amamentação exclusiva até que o bebê complete 6 meses de vida e até os 2 anos em complemento alimentar. 

 

É na apresentação de alimentos novos que começa também uma regulação das mamadas, segundo orientação de um pediatra ou nutricionista-pediátrico, para que sejam ofertados ao bebê todos os nutrientes advindos dos alimentos e complementados pelo leite materno.

 

Uma conduta coordenada e bem elaborada, neste sentido pode garantir uma amamentação mais prolongada. Exatamente por isso, o desmame feito de maneira abrupta pode influenciar todo o conhecimento de novos alimentos e criar desconfortos emocionais.

 

É no desmame que se dá início a outras formas de comunicação entre mãe e filho. “Se comunicam além do seio”.

Entre 7 a 10 meses, o bebê pode apresentar maiores buscas pelo seio da mãe, isso porque neste período o bebê passa por um “Salto de Desenvolvimento” bem característico que pode alterar, inclusive, seu padrão de sono e alimentar.

 

A busca maior pelo seio da mãe ocorre nesse marco, considerado “Angústia da Separação” onde o bebê começa a entender que é independente da mãe e isso pode deixá-lo mais inseguro, ansioso, carente. Estar com a mãe é tão forte para ele, que uma mera saída de vista por um segundo, poderá levá-lo a acreditar que a mãe não voltará.

 

É nesta ocasião que a mãe confunde, acreditando que isso seria um efeito do desmame, enquanto na verdade, faz parte do seu desenvolvimento, e que acontece na mesma época da introdução alimentar e das mamadas mais reguladas.

 

Tratam-se de muitos fatores em um só momento e que não necessariamente estão ligados ao desmame.

 

O desmame não significa sair e perder o seio, perder o amor da mãe. O que deve ocorrer quando do processo de desmame é o melhor desenvolvimento da comunicação entre mãe e filho. Ambos criarem outras formas de se comunicarem com a mesma atenção e o mesmo amor.

 

E a introdução alimentar ajuda nesse processo quando também auxilia na socialização dessa criança, que passa vir à mesa comer, socializando-se com outras pessoas, isso, claro, não sendo uma obrigatoriedade para desmamar.

 

O desmame, quando natural, não é perda, é na verdade, o momento onde a criança cria novas possibilidades emocionais, ganha prontidão.  

 

Na semana que vem conversaremos mais sobre o desmame e sobre possíveis sinais que o seu bebê pode apresentar de que está pronto para esse momento. 

 

Interaja conosco através das nossas redes sociais: @amamaenasceuassessoria e @somosmaesdeprimeiraviagem

Dayse Cristina Oliveira Melo
Consultora Materna Especialista em Aleitamento Materno. Consultora do Sono Infantil. Proprietária da A Mamãe Nasceu Assessoria. Graduanda em Fonoaudiologia Mãe do Henri

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,970FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!