Conhecendo o BLW

Por Taimi Haensel – BLWbb

 

O que é o BLW?

 

BLW é a sigla para Baby-led weaning. Em uma tradução literal, poderia ser compreendido como o desmame guiado pelo bebê. Esse desmame, todavia, deve ser entendido em sua acepção britânica: o leite materno (ou a fórmula, na falta deste) é o alimento principal. É dele que o bebê obtém a maioria dos nutrientes que necessita. Os demais alimentos serão apresentados de forma complementar durante fase de introdução alimentar (6 meses a dois anos).

 

A expressão foi criada pela Dra. Gill Rapley, profissional do Reino Unido. Em sua atividade como agente de saúde visitando as residências, a Dra. Rapley verificou que muitas famílias permitiam a seus bebês experimentar os primeiros alimentos de forma autônoma. O bebê sentava junto com a família na hora das refeições e se alimentava da comida servida a todos, havendo a interferência de adultos apenas para cortar os alimentos em um formato adequado ao seu desenvolvimento. E mais: o bebê escolhia o quê e em que quantidades comer.

 

Diversos benefícios foram observados com essa prática. Dentre eles, haveria bem menos stress para o bebê e para a família que a forma usualmente empregada na atualidade: um cuidador tentando “convencer” um bebê a comer uma “papinha” ofertada na colher.

 

A Dra. Rapley vem escrevendo diversos livros de sucesso1 e pesquisas científicas sobre o tema2.

 

Por que optar pelo BLW?

 

Como a própria Dra. Rapley diz, BLW não é método. É abordagem. Nesse paradigma, o bebê é o protagonista do seu aprendizado e da sua relação com a comida.

 

Permite-se que o bebê conheça o sabor, textura, aroma de cada alimento. Não é mais o adulto que decide o quanto o bebê deve comer. É o bebê que aprende a compreender o quanto é necessário para a sua saciedade.

 

Há, ainda, uma série de relatos sobre os benefícios do BLW em diversos estudos científicos3.

 

A decisão sobre a abordagem a ser seguida por cada família é muito particular e precisa ser tomada em conjunto com os profissionais de saúde que atendem o bebê.

 

O BLW na prática

 

O BLW é indicado na literatura para bebês maiores de seis meses, que já fiquem sentados de forma ereta sozinhos. O pediatra deve ser consultado sobre o início da introdução alimentar.

 

O bebê senta junto com a família na mesa e come no mesmo horário. Pode sentar no colo dos pais ou em um cadeirão tradicional aproximado da mesa.

 

A comida deve ser a mesma para todos. A ideia por trás disso é que se não é adequado para o bebê, não é adequado para a família. A comida é apresentada em cortes e formatos que sejam adequados para o bebê pegar e levar a boca. Por exemplo, para um bebê que inicia a introdução alimentar com seis meses, pode-se oferecer legumes na forma de palitos. Arroz e leguminosas (feijão, lentilha etc.), quando introduzidos, podem ser apresentados como bolinhos moldados na mão.

 

Quando o bebê estiver comendo esses alimentos, diminui-se o tamanho dos pedaços para desafiá-lo. Nesse ritmo, muitas famílias relatam que o bebe aos 10 meses apresenta interesse pelo talher. E, com um ano, já esta dando garfadas em sua festinha de aniversario.

 

Nossa família e o BLW

 

A nossa família optou pelo BLW. Queríamos que nossa bebê apreciasse a hora das refeições tanto quanto nós. E assim foi. Nossa bebê aprendeu a comer conosco, vendo os pais comerem. Bebês aprendem muito por imitação. Por que isso seria diferente em relação à comida? Nos primeiros meses, apenas cortávamos os alimentos em formatos apropriados à maturidade motora dela.

 

A hora da refeição deveria ser um momento tranquilo, não um campo de guerra gerador de frustração. Em particular, atraiu-nos no BLW a perspectiva respeitosa. O bebê aprende a comer na medida em que desenvolve as habilidades motoras necessárias e come na medida em que tem fome. De novo, o protagonismo está no bebe, não nas expectativas e conveniências dos adultos.

 

A introdução alimentar aqui em nossa casa já terminou. Para nós, o BLW trouxe, como benefício, um excelente desenvolvimento da motricidade fina, memórias felizes da nossa filha criando gosto pelos alimentos e uma bebê bastante segura e autônoma em vários aspectos da sua vida. Sobraram fotos muito divertidas dessa época.

 

Não é fácil, contudo. Os dois primeiros meses (que correspondem, aproximadamente dos 6 aos 8 meses) são de muita bagunça, muitas vezes ao dia. Para ajudar com isso, hoje o mercado conta com diversos produtos para ajudar as famílias a diminuírem o tempo limpando e arrumando. A nossa empresa, a BLWbb, veio nessa esteira.

 

Seguidamente, a introdução alimentar coincide com o fim da licença maternidade. A mãe precisa retomar suas atividades profissionais bem no momento que o bebê vai aprender a comer. Como estar presente nesse momento tão importante da construção da relação alimentar do bebê se a nossa estrutura social impõe o afastamento dos pais? Essa é uma reflexão mais longa que precisa ser feita pela nossa sociedade com urgência.

 

1 – O primeiro deles será lançado no Brasil dia 25 de novembro de 2017, pela editora Timo, com o título “Baby-led Weaning BLW – O Desmame Guiado pelo Bebê”. Alguns dos outros livros já publicados na língua inglesa pela autora, em co-autoria com Tracey Murkett são: “Baby-Led Weaning: The Essential Guide to Introducing Solid Foods and Helping Your Baby to Grow Up a Happy and Confident Eater”; “The Baby-Led Weaning Cookbook: 130 Recipes That Will Help Your Baby Learn to Eat Solid Foods and That the Whole Family Will Enjoy”; The Baby-led Weaning Quick and Easy Recipe Book”.

 

2 – Veja-se, exemplificativamente:

Rapley, G. (2015) ‘Baby-led weaning: The theory and evidence behind the approach’, Journal of Health Visiting, 3(3): 144-151.

Rapley, G. (2016) ‘Are puréed foods justified for infants of 6 months? What does the evidence tell us?’, Journal of Health Visiting, 4(6): 289-295.

Rapley, G. (2016) ‘Is spoon feeding justified for infants of 6 months? What does the evidence tell us?’, Journal of Health Visiting, 4(8): 414-419.

Rapley, G. (2016) ‘Starting solid foods: does the feeding method matter?’, Early Child Development and Care, DOI: 10.1080/03004430.2016.1250080.

 

3-  Veja-se, exemplificativamente:

Brown, A., Wyn Jones, S. and Rowan, H. (2017) ‘Baby-led weaning: The evidence to date’, Current Nutrition Reports. Available online: DOI: 10.1007/s13668-017-0201-2.

Townsend E., Pitchford NJ. Baby knows best? The impact of weaning style on food preferences and body mass index in early childhood in a case–controlled sample. BMJ Open 2012; 2:e000298. doi: 10.1136/bmjopen-2011-000298.

 

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,950FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!