Iniciando a alimentação complementar (papinhas)

Muitas mamães, especialmente as de primeira viagem, tem muitas dúvidas a respeito de quando introduzir a alimentação complementar, e pretendemos, neste artigo, buscar solucionar algumas destas incertezas.

 

Até o sexto mês de vida, o ideal é que os bebês se alimentem somente com o leite materno. Nesta fase, não se deve oferecer chás, sucos, outros leites e nem mesmo água, já que o leite materno contém todos os nutrientes que a criança necessita, além de auxiliar na prevenção de doenças.

 

A partir dos 6 meses, o organismo já está preparado para receber outros alimentos (além do leite materno), que são chamados de alimentos complementares. Se possível, o ideal é que a criança continue mamando no peito até completar 2 anos de idade.

 

Importante lembrar que muitas mães não conseguem amamentar até o sexto mês, e nestes casos a introdução de novos alimentos deve acontecer aos 4 meses de idade, intercalando as papinhas com fórmulas infantis.

 

No início da alimentação complementar (após os seis meses), a criança deve receber três refeições ao dia (por exemplo: café da manhã, almoço e lanche da tarde), sendo duas papas de fruta e uma papa salgada. É importante ressaltar que as refeições devem ser oferecidas sem rigidez de horário, respeitando sempre a vontade da criança.

 

No oitavo mês, deve ser iniciada a segunda papa salgada e, a partir dos 12 meses de vida, além destas 4 refeições, se inicia uma quinta refeição pela manhã. 

 

Durante essas fases mencionadas, o leite materno deve ser oferecido em livre demanda. Porém, não é recomendável amamentar 1 a 2 horas antes e após as principais refeições, para que os sinais de fome e saciedade sejam respeitados, e também para não prejudicar a absorção do ferro presente em alimentos como a carne.

 

Na impossibilidade do aleitamento materno, o ideal é oferecer 4 a 5 refeições ao dia, desde o início da alimentação complementar. 

 

Sugiro que a primeira novidade da alimentação complementar seja fruta, que deve ser oferecida, inicialmente, amassada ou raspada com a colher. É importante dar a mesma fruta por dois ou mais dias, para que o pequeno aprenda a diferenciar os sabores e também, para que a mãe possa observar tanto a aceitação, quanto se a criança apresenta algum tipo de alergia. Os sucos de fruta não devem ser oferecidos com frequência, por não estimular a interação da criança com o alimento e nem a mastigação. 

 

Sugestões de frutas para iniciar a alimentação complementar: Maçã Argentina, Banana Maçã, Pêra, Mamão Papaya, Laranja Lima, Abacate, Pêssego, Melancia e Melão.

Maria Fernanda Naufel

Doutoranda em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP/EPM (iniciado em 2014).

Título de Mestre em Pediatria pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP/EPM (concluído em 2009).

Título de Especialista em Nutrição Pediátrica pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP/EPM (concluído em 2005).

Carreira desenvolvida na área acadêmica e de nutrição clínica, com sólida experiência em nutrição infantil, nutrição clínica e nutrição em nefrologia.

Graduada em nutrição pela Pontifícia Universidade Católica – PUC-Campinas (concluído em 2004).

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,952FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!