5 dúvidas respondidas que todos os pais tem sobre introdução alimentar

A introdução alimentar é um dos momentos de mudança mais importantes da vida do bebê, mas como qualquer outra transição, as dúvidas começam a surgir e junto com elas um pouco de insegurança. Primeiro é preciso entender algumas coisas:

 

  • A introdução alimentar, no começo, é só um complemento. Ainda é extremamente importante manter o leite materno ou fórmula como refeição principal;
     
  • O bebê precisa do leite, principalmente, em seus primeiros meses de introdução alimentar, pois ele tem o poder de acalmar o bebê, protegê-lo contra anemia e ainda fornecer a energia que ele precisa.
     

O leite que é dado para o bebê todos os dias é carregado de afeto e amor, por isso, é considerado pelos especialistas um momento muito importante da vida da criança. “O alimento é carregado de afeto. É feito de vínculos, não se restringe a necessidade fisiológica. O pai pode participar da introdução alimentar preparando e servindo o alimento, assim vai ganhando espaço na relação”, afirma a doutora em psicologia Verônica Wainstein. 

 

1. Quais sinais podem me ajudar a iniciar a introdução alimentar? 
 

É importante ressaltar a importância dos pais saberem identificar o momento certo de iniciar a introdução alimentar, que não deve ser feita antes dos seis meses. O bebê pode dar sinais de prontidão física que ajudam a definir o momento em que se pode iniciar a alimentação complementar.
 

2. Como eu posso saber se o meu filho já consegue mastigar os alimentos? 
 

A mastigação depende muito do apoio do tronco e sem esse ponto desenvolvido, o bebê não tem como comer nenhum tipo de alimento. 
 

“O desenvolvimento da mastigação começa desde o primeiro dia de vida. Quando o bebê consegue manter a cabeça equilibrada, ele já possui melhor movimentação da mandíbula para exercer a mastigação” ressalta a pós-graduada em fonoaudiologia Regiane Pereira.
 

Na hora de efetivamente iniciar a introdução alimentar do seu pequeno você pode começar com papas de frutas e salgadas entre os 6 e 7 meses de vida. Aos 12 meses, você já pode investir em alimentos, como cereais, tubérculos, frutas ou pão simples, e o bebê pode comer as refeições da família nesse período também.
 

3. Qual a consistência certa para a papinha? 
 

Esqueça aquela história de que a papinha precisa ser igual uma sopa, é super importante para o bebê sentir a textura dos alimentos, viu? E o pequeno precisa desenvolver a sua mastigação também, e isso não é possível quando se oferta uma sopa para a criança. 
 

O certo é a mãe definir o que é melhor para o seu bebê, alguns gostam de comer pequenos pedacinhos dos alimentos, já outros preferem uma comida mais pastosa. Hoje em dia as papinhas precisam ter pedacinhos e textura, pois a mastigação da criança precisa ser estimulada. 
 

4. Quais alimentos escolher para preparar as papinhas?
 

Para as primeiras papinhas é importante ressaltar que a proteína é indispensável! Você pode combiná-la a hortaliça verde e uma colorida e tubérculos, esse pode ser o modelo das primeiras refeições do bebê. O legal é sempre manter a proteína unida a dois ou três alimentos de outros grupos. 
 

Após o período de apresentação, você pode incluir na papinha arroz e leguminosas, bem cozidos e amassados. Os alimentos ofertados devem ser variados para fornecer bons hábitos alimentares. 
 

5. Como identificar os períodos em que o bebê precisa comer?

 

A ideia não é criar uma rotina rígida de alimentação, e sim, entender os períodos em que o bebê indica estar com fome e, a partir disso, começar a dar alimentos para ele. Pois em sua pouca idade o bebê ainda não entende que aquele alimento irá saciar sua fome. Por isso, é importante que você saiba, através da observação da rotina do seu pequeno, os momentos certos de oferecer as refeições para ele. 

 

Com informações da Phitters

Somos Mãeshttps://somosmaes.com.br/
A Somos Mães é uma ONG e uma empresa do setor 2,5 que nasceu em agosto de 2014. Com o objetivo de informar e acolher, produz conteúdo que impacta diariamente mais de 300 mil pessoas. Tem dois projetos incentivados pela Lei Rouanet.

Leia mais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Siga nossas redes

220,956FãsCurtir
65,000SeguidoresSeguir
345InscritosInscrever
spot_img

Últimos posts

error: Content is protected !!